O nome do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2018) pode enganar. Quem pensa que a prova avalia os assuntos ensinados na reta final da escola pode rever seus conceitos e recorrer aos cadernos antigos. Segundo o levantamento do SAS Plataforma de Educação, 75% das questões cobradas em Matemática são assuntos que os estudantes aprenderam durante o ensino fundamental.

E por que se preocupar tanto com os assuntos cobrados em Matemática? Porque a disciplina tem um peso considerável na prova do Enem.vip. Para se ter uma ideia da importância, ela é a única que tem 45 questões exclusivas para tratar de seus assuntos.

Então, atenção aos assuntos mais cobrados e que são do ensino fundamental: geometria, por exemplo, que começa a ser estudada logo cedo, é o assunto cobrado em 26,4% das questões. Aritmética aparece em segundo, com 12,8% das questões cobradas, e escala, razão e proporção, cobre 12,1%. Já porcentagem compreende 11% das questões e gráficos e tabelas, 9%. (Veja abaixo os assuntos cobrados na disciplina entre 2009 e 2015).

O levantamento foi organizado pelo professor de matemática Ademar Celedônio, diretor de ensino do SAS, que analisou as questões de todas as provas entre 2009 e 2015. Para ele, o motivo dessa “preferência” pelos assuntos do ensino fundamental se deve ao perfil do Enem, que tem a proposta de resolução de problemas do dia a dia. “A prova do Enem espera dos alunos a aplicação de competências e habilidades do cotidiano. Ele traz o que é mais próximo da realidade do aluno, diferente daquelas provas tradicionais. Tem o conceito de aplicar na realidade do estudante”, analisa o professor.

Por isso, o estudante deve ficar atento ao que está acontecendo à sua volta, afirma o professor. “Você não vê muitas questões de trigonometria, mas vê aritmética. A prova direciona o aluno para algo mais contextualizado. É interessante que o aluno esteja assistindo ao jornal, lendo uma revista semanal, para que se inteire dos assuntos de maneira geral. Pode ser uma questão que pergunte sobre o aumento do salário mínimo, por exemplo. E às vezes o estudante nem sabe qual o valor real que é o salário mínimo atualmente”, lembra Celedônio.

Outro motivo que torna a Matemática Básica como dominante nos assuntos da prova é que ela pode ser melhor contextualizada e desenvolve o raciocínio do estudante para outros temas mais avançados dentro da própria disciplina, pondera o professor Adriano Caribé. “A Matemática mais contextualizada favorece as questões do ensino fundamental. E a do ensino médio é mais uma ponte do aluno para o ensino superior, que já insere mais um pouco de abstração para o estudante”, explica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *