Leia as dicas de maneira objetiva e em tópicos sobre a Redação de Concursos, ENEM 2018 e Vestibulares.

– aplicar a norma culta da língua portuguesa. Isso é bem óbvio, mas a obviedade precisa ser reforçada. Ela corresponde a uma boa parte de sua pontuação na redação;
– usar adequadamente os conectivos de coesão e coerência entre os parágrafos;
– aplicar conceitos de pensadores renomados das Ciências Humanas de maneira contextualizada e bem fundamentada;
– harmonizar a técnica e o conteúdo. Se você já ouviu uma orquestra percebeu como os instrumentos são bem afinados e estão em sintonia. Se, por acaso, um dos instrumentos estiver desafinado vai incomodar os ouvidos, até mesmo daqueles que não entendem nada de música. É assim também com um texto!;
– o conteúdo precisa possibilitar uma leitura agradável e de fácil assimilação, com desencadeamento lógico das ideias apresentadas;
– buscar a objetividade em seus argumentos, isto é, exposição clara e coerente;
– treinar bastante! Você pode escrever e oferecer o seu escrito a um amigo, a um professor ou compartilhar em um blog. É importante também conferir a um profissional a correção de suas redações, para que o mesmo avalie tecnicamente;

Para começar a escrever, sugiro alguns passos:

– Escolha um tema.
– Faça uma pesquisa sobre o que estão falando sobre o tema, buscando fontes confiáveis e autoridades no assunto.
– Faça um esquema ou um mapa mental dessas ideias.
– Monte um mapa mental com palavras chaves em cada parte da estrutura de sua redação. Quais são as principais ideias que você vai colocar na introdução, no desenvolvimento e na conclusão?
– Faça uma seleção de argumentos, causas e consequências Edital enem 2018.
– Pense como essa situação-problema poderia ser solucionada e com qual finalidade.
[Antes de prosseguirmos, quero convidá-los a baixar gratuitamente a aula demonstrativa e o resumo sobre Mobilidade Urbana, do curso de CIÊNCIAS HUMANAS PARA REDAÇÃO e conhecer o curso de Discursivas para o TST]

Outras sacadas ENEM 2018:

– ler revistas, jornais e livros. Eu, particularmente, procuro ler todos os dias as principais notícias dos 3 jornais de maior circulação: A Folha de São Paulo, O Globo e o Estadão. Além deles, leio com frequência a revista Carta Capital e assino a revista Cult. Adoro ler livros de literatura e busco leituras que me ajudem a atualizar o meu conhecimento na minha área profissional. É pela prática da leitura que se forma um repertório seguro. Como diria o meu ex-professor de Esperanto, Saulo Wanderley, “se você pensa que livros e cursos são caros, experimente a ignorância e continuar do mesmo jeito”;

– saber o que a banca pede como critério de avaliação, portanto, é preciso conhecer bem o edital;

– não faça como o ex-jogador Romário: “treino é treino e jogo é jogo”. Isso pode ser válido para o gênio que ele foi no futebol, mas se fosse concurseiro ou estudante do ENEM, levaria um baita zero!
– no dia da prova vá direto ao tema da prova. Leia os textos motivadores ou de suporte. Elabore um esquema ou mapa mental com palavras chaves colocando tópicos na introdução, desenvolvimento (arg. 1 e arg. 2) e conclusão (com duas propostas de intervenção). Depois faça a sua prova objetiva, a qual inclusive poderá dar algumas sacadas para você retomar na redação. Embora eu não tenha comprovação empírica, isso fará com o que seu cérebro comece a ter insights para a redação.
Enfim, é possível escrever bem e não é nenhuma coisa de outro planeta. Escrever é uma habilidade que todos podem desenvolver, basta querer, treinar e se dedicar.

FONTE:Raphael de Oliveira Reis em Cursos e Concursos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *