Você pode achar que para tirar boas notas no Enem basta estudar. Sim, isso é essencial, mas também é muito importante conhecer bem a prova e, principalmente, as competências que ela exige do estudante. Sabe aquela história de ir para a batalha conhecendo bem o inimigo? A única diferença é que você não deve ver o exame como seu oponente, mas sim como uma chave para o seu futuro. Será com a ajuda dele que você abrirá muitas portas na sua vida. Acredite! Entendê-lo irá tornar a sua jornada de estudos muito mais proveitosa.

Abaixo, selecionamos dez questões que quase sempre deixam dúvidas. Para respondê-las, conversamos com um representante do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep ENEM 2018), responsável por preparar e aplicar o Enem, além de dois outros especialistas na área de educação.

1. Quando a prova é finalizada e enviada para a gráfica?

Uma das grandes preocupações para o Enem 2018 inscrição é o estudo das atualidades e muitos costumam perguntar até que mês eles devem ficar ligados nas notícias. Apesar de não ser divulgada a data do envio dos cadernos do exame para a gráfica (por motivos de segurança, já que todo o processo é fechado), é possível ter uma ideia da época por meio de questões aplicadas em anos anteriores. Quem diz isso é Fred Vilela, cofundador da Evolucional, empresa de consultoria educacional focada em Enem. “Analisando alguns textos de apoio de questões dos últimos exames, é possível estimar que a prova seja finalizada entre maio e junho para o Enem do mesmo ano”, explica. No entanto, esse dado não é importante para o aluno, segundo Fred: “São poucas as questões estritamente de atualidades, até porque as perguntas precisam ser pré-testadas e isso pode acontecer meses ou até dois anos antes”.

No Enem, o estudo de atualidades é necessário para o aluno ter conhecimento das discussões em debate na sociedade e não para ele responder diretamente a questões. Todos os eixos cognitivos que norteiam a produção das provas buscam avaliar de que forma o estudante se relaciona com o mundo e com a sua realidade (veja quadro). “Quando solicitamos a produção dos itens às universidades federais, buscamos questões que abordem assuntos de grande relevância nacional e não exatamente questões com assuntos recentes. A única prova que levamos em conta as atualidades e que começamos a trabalhar entre uma aplicação e outra do Enem é a de redação”, conta Eduardo Carvalho Souza, coordenador geral do Sistema de Avaliação da Educação Básica do Inep. Ele explica que não são escolhidos tópicos pontuais de grande chamada na imprensa, mas sim temas mais amplos muito discutidos nos meses anteriores à prova justamente por conta da importância para a sociedade, como foi o caso de “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil” (2016) e “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira” (2015).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *